Skip to main content
Foto mostra legumes e a palavra Vegetariano escrita sobre eles

Ser vegetariano é respeitar a vida

Todas as nossas ações e atitudes impactam o planeta. E a alimentação não poderia ser diferente. Ser Vegetariano, Vegano ou Ovolactovegetariano são formas de alimentação que reduzem, em última análise, o gasto com água, promovem uma maior consciência ambiental nas pessoas, auxilia na diminuição de emissão de gases de efeito estufa, entre outros benefícios.

Foto mostra banca de supermercado com legumes
Uma alimentação balanceada, baseada em legumes e hortaliças, é essencial

Mas o mais importante é que o indivíduo passa por uma profunda transformação interna e começa a enxergar algo muito simples: que todo e qualquer ser vivo merece ser respeitado.

Alimentação mais natural

Você pode gerar menos impactos no seu dia a dia seguindo algumas formas de alimentação mais naturais. Conheça as diferentes etapas.

Ovolactovegetariano

Foto mostra caixa com ovos livres de antibióticos, ideal para quem prega um consumo mais vegetariano
Ovos livres de antibióticos: consumo consciente, fazendo bem a saúde

A partir de uma dieta livre do consumo de qualquer tipo de carne, os adeptos abrem exceção ao se alimentarem com ovos, leite e seus derivados. Muitas optam por começarem dessa forma a transformação de seus hábitos alimentares.  

Vegetariano

A partir dessa etapa, a pessoa que passa a ser vegetariana exclui completamente todos os alimentos que possuem origem animal. Entram nessa lista principalmente carnes, mas também ovos, leite, mel. Os motivos elencados pelas pessoas que optam por esse modo de vida passam pelo respeito ao meio ambiente, aos animais e também pela própria saúde.

Vegano

A partir de uma forma mais orgânica de se viver, as pessoas que alcançam essa consciência retiram da sua vida todo e qualquer alimento, produtos de vestimenta, cosméticos ou limpeza que possuem origem animal. Além disso, ajudam ONG´s que cuidam e protegem animais, não admitem que eles sejam mantidos em cativeiro e nem que sejam realizados testes, sendo muito conscientes sobre o sofrimento deles.

Um dos perfis do Instagram bem engajados nesse tema é o Veganos Brasil®, que além de desenvolver outras ações importantes, participa também do movimento ‘Segunda sem carne’ que tem o apoio da Sociedade Vegetariana Brasileira – SVB. Esse movimento é encabeçado por Paul McCartney (ex-Beatle) e por outros líderes mundiais e já atinge mais de 40 países. No Brasil conta com apoio de empresas, governos e personalidades.

Senciência: eles sentem

As sensações como a dor ou a agonia, ou as emoções, como o medo ou a ansiedade, são estados subjetivos próximos do pensamento e estão presentes na maior parte das espécies animais. Ou seja, a maioria deles são sencientes e possuem a capacidade de sentir de forma consciente essas emoções. E essa consciência está presente desde uma vaca, passando por galinhas, insetos e até moluscos, entre tantos outros.

Foto mostra ovelha olhando para a câmera
Já foi comprovado que animais podem sentir emoções e sensações

Infelizmente a lei brasileira considera os animais como ‘coisas’. Existe um projeto de lei que tenta incluir uma frase no Código Civil em seu art. 82, parágrafo único, dizendo que “animais não serão considerados coisas”. Ele tramita desde 2014 e apesar dos esforços de ativistas, celebridades e de inúmeras discussões no Legislativo, nada ainda foi definitivamente aprovado.

Benefícios de ser vegetariano

E é justamente por ter essa empatia pelos animais que cada dia mais pessoas estão buscando formas de alimentação mais saudáveis, que não causem sofrimento aos seres vivos.

Reflita sobre o assunto a partir desses relatos de pessoas que mudaram a forma de alimentação e que também impactam na sua vida.

“Porcos são extremamente inteligentes e sociáveis”, conta Luciana

“Este é um relato de uma transformação de costumes, que veio após muita reflexão e alguma carga de sofrimento. É a história de como eu e meu marido nos tornamos vegetarianos. 

Tudo começou com uma decisão não relacionada: dar lar temporário (ou LT, para os íntimos) a cães de uma ONG aqui da cidade (Ribeirão Preto/SP). Na verdade, dar LT a uma cachorrinha específica: a Pimpi. 

Foto mostra um cachorro com a cabeça em cima de livros
‘Dax’ é extremamente curiosa e sociável com outros animais

Leia também: Cão – entenda o seu melhor amigo

Pimpi foi abandonada no portão da ONG. Foi amarrada no portão de madrugada, passou a noite sozinha e, pela manhã, a primeira funcionária a encontrou. Como a ONG já estava cheia, pediram LT pelo Facebook (é, ele serve pra coisas boas também) e eu decidi abrir minha casa pra ela. Na ocasião eu já tinha uma cachorra, a Dax, que é extremamente curiosa e adora outros bichos. Foi amor à primeira vista. 

A inteligência dos animais

Nessa época eu já fazia alguns treinos de obediência com a Dax e, como a Pimpi era muito ansiosa, resolvi ensiná-la a realizar alguns truques. Não tive muito tempo, ela foi adotada após 3 meses de LT. Chorei, me descabelei, mas aceitei outra cachorra, a Nair.

Foto mostra cadela olhando de lado
‘Nair’: desde quando foi adotada sempre nos trouxe muitas alegrias

Nair (que já não está mais entre nós) era velha e mais lenta para aprender truques, mas toda essa coisa de ensinar cães me deixou muito curiosa sobre a inteligência dos animais e fui pesquisar sobre isso. Descobrimos que porcos são extremamente inteligentes e sociáveis. Por isso, inclusive, são tratados como animais de estimação por algumas pessoas. Vacas fazem amizade e choram quando seus bebês são retirados delas. Galinhas são inteligentes, tem amigos e adoram ciscar livremente. Então porque a indústria os confina em gaiolas pequenas para terem uma vida miserável? Então pensamos, não podíamos continuar a patrocinar isso. 

O começo da mudança

Resolvemos então pesquisar a origem das carnes que comíamos. Eu sei, coisa de nerd, mas aliviaria um pouco a nossa consciência. Ou assim achávamos, na época. Passamos a comprar somente frango criado solto, carne de boi, porque a maioria das criações no Brasil são extensivas, e tiramos a carne de porco do menu. Sim, bacon, presunto, salame, tudo excluído por amor aos porquinhos. Se o animal serviria de alimento, que ao menos tivesse uma vida decente. 

Foto mostra Galinhas-d'angola criadas soltas, ideias para quem é adpto do Ovo lacto vegetariano
Galinhas, como a D’angola, quando criadas soltas, são menos stressadas e mais tranquilas

Como consequência, começamos a introduzir mais vegetais na alimentação e, pra não ficar na mesmice, procuramos receitas vegetarianas e veganas. Outro detalhe: eu era muuuuuito carnívora. Refeição sem carne não me sustentava. Eu quase não comia nenhum vegetal que fosse muito diferente, mais porque não tinha costume e não sabia preparar do que por aversão. Mas tinha que ter carne em quase todas as refeições. 

Mundo vegetariano

Quando a gente entra nesse mundo vegetariano e vegano, por mais que seja somente à procura de receitas, começa a conhecer outra forma de ver o mundo e de nos relacionar com os animais. Não vejo eles como fonte de proteína, pois temos feijões, leguminosas, cogumelos variados, glúten e, ainda, ovos. Mas só com certificado de que as galinhas foram criadas soltas. 

Hoje, aprendemos a fazer substituições, não comemos mais carne e não nos faz falta. Pesquisamos para manter uma dieta equilibrada e variada. Esse caminho nos trouxe novos sabores que não conhecíamos e uma vida mais saudável. E uma nova forma de enxergar nossa relação com os animais. Todos os animais.”

Luciana Carvalho Agostinho
Farmacêutica, doutoranda em ciências e curiosa compulsiva


“Precisamos de um consumo mais consciente”, relata Erika

“Em meados de 2016 despertei para um processo reflexivo e me tornei vegetariana. Isso me fez entrar em contato com inúmeras informações que deixam bem claro que a criação de animais para consumo humano tem um impacto desastroso para o Planeta. 

Segundo a ONU o setor pecuário é o maior responsável pela degradação do solo e contaminação de mananciais, produzindo 14,5% dos gases do efeito estufa. Existem dados que para produzir 1 kg de carne bovina são necessários de 10 a 20 mil litros de água. Ainda 97% do farelo de soja e 60% de milho produzidos no mundo são destinados a produção de ração para fazendas e granjas industriais, contribuindo para o desperdício global de alimentos pois são necessários de 2 a 10kg de proteína vegetal para compor 1 kg de proteína animal.

Foto mostra bezerro, um ser vegetariano, e também bois pastando
Criação de animais para consumo tem forte impacto sobre o Planeta

Ser vegetariano é ter respeito pelos animais

Além do impacto ambiental temos outra vertente, o vegetarianismo busca excluir, na medida do possível, toda e qualquer exploração e crueldade animal visto que os animais são comprovadamente sencientes (capazes de sofrer e experimentar contentamento) e merecem respeito e consideração moral.

Por último, temos a questão social, quando se adquire o modo de viver vegano/vegetariano abre-se um olhar para um consumo mais consciente, dando maior atenção aos pequenos produtores, agricultores familiares e lojas de bairro em detrimentos das grandes redes que produzem em grande escala, muitas vezes explorando mão de obra e praticando crueldades.

Foto mostra hortaliças alimentação ideal para quem é vegetariano
Ser vegetariano é uma forma mais harmônica de conviver com o Planeta

Por fim, podemos afirmar que ser Vegano/Vegetariano é um modo de viver de forma mais harmônica com o Planeta e seus habitantes, sejam eles humanos ou não humanos.

Via Natural

Tornar-me vegetariana me ajudou também de outra maneira. Eu já havia trabalhado em grandes empresas do mundo corporativo, mas chegou um momento que queria fazer algo menos estressante. Por isso larguei tudo, decidi me reinventar e voltei meu olhar para ajudar o meu pai, que possui uma propriedade rural. Por ser vegetariana, tive a ideia de cultivar alimentos mais naturais.

Foto mostra caixa com hortaliças
Entrega dos produtos, a clientes e amigos, passou a ser diária

Comecei a vender a produção excedente para amigos e conhecidos. Foi assim que, aos poucos, surgiu a Via Natural, onde cultivamos tudo sem o uso de agrotóxicos, de forma bem artesanal e utilizando o controle biológico que a própria natureza nos fornece. Dessa forma conseguimos uma alimentação segura, saborosa e de qualidade.”

Erika Crudi
Médica Veterinária (CRMV SP 12342), produtora rural e olericultora de agricultura familiar


Alimentação mais saudável

A alimentação vegetariana pode trazer grandes benefícios à saúde, como a prevenção de doenças do coração, reduzir os sintomas da artrite e estimular adequadamente os órgãos como fígado e os rins a trabalharem melhor.

Alguns estudos recentes mostram ainda que, ao priorizar alimentos de origem vegetal, como frutas e hortaliças, a pessoa obtém naturalmente os compostos bioativos, substâncias associadas a longevidade e a uma vida melhor.

Foto mostra mandiocas em uma carriola
Mandioca é um dos alimentos ricos em ferro que podem ser utilizadas na alimentação

Veja alguns dos principais alimentos, ricos em ferro, que podem constar na sua alimentação:

  • Sementes: linhaça, abóbora e gergelim;
  • Cereais integrais: arroz, trigo e aveia;
  • Leguminosas: grão-de-bico, feijão, lentilha e ervilha;
  • Vegetais: agrião, couve manteiga e salsa;
  • Frutos secos: uva-passa, ameixa e damasco;
  • Oleaginosas: castanhas, amêndoas e nozes;
  • E ainda: molho de tomate, tofu e mandioca.

Lembre-se de sempre consultar um especialista antes de iniciar uma mudança alimentar.

Você pode ser vegetariano

E você? Depois dessa reflexão, pensa em tornar-se vegetariano? E quais alimentos pensa em alterar ou diminuir da sua alimentação diária? Ou qual atitude busca realizar em benefício do planeta? Deixe nos comentários abaixo.

A Ecooar apoia atitudes que protegem e respeitam os animais.

Facebook Comments

ecooar

A Ecooar Biodiversidade acredita em um mundo melhor! E por acreditar tanto nisso, nossa equipe atua apaixonadamente para proteger, preservar e recuperar a natureza. Trabalhamos com projetos de reflorestamento que agem na recomposição de Áreas de Preservação Permanente (APP) na Mata Atlântica e demais biomas. A formação de florestas retém CO2 da atmosfera, o que resulta na captura de Gases de Efeito Estufa (GEE) e regeneração do meio ambiente.

Deixe uma resposta

Translate »