Foto mostra centro de San Francisco, com sigla ESG sobre o fundo

ESG e o mercado financeiro

Entenda como a ESG está gerando melhores resultados no longo prazo


* Evilázio Magalhães Júnior


Você já deve ter visto e lido sobre ESG nas suas redes sociais. Se ainda não viu, com certeza há de ver nos próximos meses. O assunto é efervescente e ganha cada vez mais atenção de pessoas e empresas no Brasil e no mundo. Em meio a tantas notícias sobre a crise de saúde causada pelo Covid-19, o olhar para sustentabilidade é um alento para todos nós.

O Brasil, referente ao tema questão ambiental, é um ator incipiente, mas que ganha holofotes e começa a se destacar principalmente nos últimos anos, inclusive com a participação do Banco Central do Brasil, um figurante muito importante neste filme que contém várias estrelas.

Melhores práticas: ESG

Que tal então falarmos sobre uma parte recente dessa história? Em 2005, numa importante reunião entre várias instituições financeiras de 9 países – entre eles o Brasil – foram discutidos assuntos sobre questões ambientais, sociais e de governança na Organização das Nações Unidas. Foi neste encontro que surgiu pela primeira vez a sigla ESG (em inglês: “environmental, social and governance”, ambiental, social e governança, em português), com o objetivo de seguir melhores práticas ambientais, sociais e de governança de um negócio – e também como critério para avaliação de investimentos.

Foto mostra ruas de New York, local onde nasceu a sigla ESG
New York, cidade que abrigou a primeira reunião sobre o tema ESG (Environmental, Social and Governance)

A conclusão do relatório foi que a incorporação desses fatores no mercado financeiro gera negócios mais sustentáveis, com mais retorno e melhores resultados para a sociedade. Se você leu mais retorno, não se assuste: sim, pessoas e empresas que seguem práticas de sustentabilidade conseguem melhores resultados no longo prazo comparado às que não possuem essa prática.

A sigla ESG une três fatores que mostram quanto uma empresa está comprometida em ter uma operação mais sustentável em termos ambientais, sociais e de governança, e ela é detalhada por cada tema da sigla:

E – Evironmental (Ambiental): é uma visão de como as empresas reduzem o impacto ambiental e se preocupam com questões como emissão de carbono; aquecimento global; eficiência energética; poluição e recursos naturais. Temas, portanto, sobre práticas ambientais.

S – Social (Social): é como o ecossistema de uma empresa trabalha e respeita os seus parceiros: colaboradores, clientes e funcionários. Também estão envolvidos neste catálogo a inclusão e a diversidade; direitos humanos; privacidade e proteção de dados e relação com a comunidade.

G – Governance (Governança): é o olhar para as companhias e suas práticas de gestão corporativa. Podemos elencar: diversidade no conselho, ética, transparência, canal de denúncias e remuneração da alta administração.

Foto mostra placa da Porsche em área de reflorestamento
Através do plantio de árvores, mais de 54 toneladas de CO2 foram compensadas no lançamento do Porsche Taycan, durante o evento World Roadshow 2020, um bom exemplo de ação sustentável

ESG no Brasil

No Brasil, o mote ganhou mais força em 2020, pois o tema sustentabilidade foi adicionado à AgendaBC#, que possui 5 pilares: inclusão, competitividade, transparência educação e sustentabilidade. Vale mencionar que o Banco Central desde 2014 busca contribuir com o meio ambiente no contexto geral e no contexto do mercado financeiro.

Naquele ano foi introduzida a Resolução sobre Responsabilidade Social e Ambiental; em 2015, Monitoramento dos efeitos da seca e seus impactos no sistema financeiro; já no ano de 2016, o Guia para emissão de Títulos Verdes; 2017, Resolução sobre gerenciamento integrado de risco E+S e em 2019 Monitoramento os efeitos de Brumadinho e seus impactos no sistema financeiro. Um resumo de tantas ações vigentes.

Gestão sustentável

Para se ter uma ideia da proporção deste assunto, investidores começaram a exigir que empresas adotassem a prática de sustentabilidade em seus negócios para que recebessem capital. Outrora essa exigência não fazia parte do critério de alocação de recursos. Já no mercado financeiro, a maioria das instituições lançou fundos de investimentos que aplicam recursos em empresas voltadas à gestão sustentável. Sabe aqueles índices de ações que os jornais noticiam e os investidores acompanham, o Ibovespa, por exemplo? Pois já existem 20 índices ESG no mundo.

Foto mostra banner demonstrativa com informações de ações sustentáveis da Beauty Fair
Beauty Fair, a maior feira das Américas, sempre adotou práticas de sustentabilidade em seus eventos, adotando uma gestão sustentável e responsável com o descarte de seus resíduos e compensando as emissões através do plantio de árvores

Aqui no Brasil o mais conhecido é o Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3), que tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.

E não para por aí: um dos maiores bancos no Brasil possui propaganda em horário ‘’nobre’’ da televisão sobre opções para investimentos cujos recursos são alocados em empresas ou negócios que seguem questões ambientais, além de outra instituição financeira que produz conteúdo diário sobre sustentabilidade e ESG. Tudo isso, é claro, devido à demanda crescente de interessados pelo assunto e o conhecimento que negócios sustentáveis geram mais retorno no longo prazo.

NGFS: você sabe o que é?

Sociedade em transformação

É importante não confundir: ESG não é um sinônimo de sustentabilidade empresarial. O conceito ESG surgiu das transformações da sociedade que tornaram a sustentabilidade uma nova dimensão dos negócios.

E você ainda acredita naquela história que capitalismo e sustentabilidade não podem fazer uma ótima dupla?

Foto mostra mulher plantando árvore que faz parte da ação de ESG
Sustentabilidade passa também pelo reflorestamento de áreas de preservação permanente

Você já deve ter percebido que a ‘’economia sustentável’’ vai provocar divisões claras. O meio ambiente é essencial para a vida e o desenvolvimento econômico e social do mundo. E não podemos pensar que meio ambiente é apenas os animais e as florestas. Parabéns! Você é o principal realizador desta mudança no planeta, pois o cenário que se apresenta é estimulante.


*Evilázio Magalhães Júnior, CFP®️
Possui a certificação CEA, Certificação Especialista em Investimento ANBIMA, e especialização em MBA em Gestão Empresarial pela FGV.


ESG, sua empresa mais verde

A sua empresa deseja ser mais sustentável e estar comprometida em termos ambientais? Nós disponibilizamos uma maneira simples e prática de adquirir o Selo Verde Ecooar, selecionando a opção que melhor se encaixa no perfil da sua empresa. Mas caso você precise de orientação da nossa equipe, estamos à disposição!

As ações podem ser consultadas rapidamente através do QR Code, fortalecendo ainda mais o marketing verde com os consumidores. Veja outras vantagens:

– Agrega valor à sua marca
– Fortalece sua imagem junto ao consumidor
– Aproxima seus colaboradores com a sustentabilidade
– Refloresta áreas com auditoria on-line
– Neutraliza as emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE)
– Recupera ecossistemas e nascentes
– Amplia a responsabilidade socioambiental
– Melhora a qualidade de vida das pessoas
– Contribui com educação ambiental
– Certifica empresas, produtos, websites, escritórios, feiras e eventos

Acesse nosso site e conquiste agora o Selo Verde Ecooar. Se preferir entre em contato com nossa equipe pelo formulário ou através de nossos e-mails ecooar@ecooar.com ou ecooar@gmail.com, ou WhatsApp abaixo:

Facebook Comments

ecooar

A Ecooar Biodiversidade acredita em um mundo melhor! E por acreditar tanto nisso, nossa equipe atua apaixonadamente para proteger, preservar e recuperar a natureza. Trabalhamos com projetos de reflorestamento que agem na recomposição de Áreas de Preservação Permanente (APP) na Mata Atlântica e demais biomas. A formação de florestas retém CO2 da atmosfera, o que resulta na captura de Gases de Efeito Estufa (GEE) e regeneração do meio ambiente.

Deixe uma resposta