Skip to main content
Foto mostra o ator Eraldo Juinho segurando uma flor em frente a um lago

Eraldo Juninho: arte sustentável

“Seja a mudança que você quer ver no mundo”. É dessa forma que Eraldo Oliveira da Silva Júnior, mais conhecido por Eraldo Juninho, nome artístico, acredita e incorpora a frase antológica de Mahatma Gandhi em seu dia a dia.

Natural da cidade de Osório/RS, conhecida como a cidade dos Bons Ventos, em virtude de ter a segunda maior usina eólica da América Latina, graduado em Educação Física (2008), pela UNICNEC-Osório/RS, Pós-Graduado em Produção Cultural (2014), pela Universidade Castelli-Canela/RS e, registro profissional de ator no SATED/RS (2018), nº 14338/RS, Eraldo é Ator e Palhaço em formação.

Professora Neca apresenta o caminho das artes a Eraldo

Seu encontro com a arte aconteceu, mais precisamente no ensino médio, na escola Ildefonso Simões Lopes (2002), – carinhosamente chamada Escola Rural. Como na maioria das escolas do país, o teatro não é uma disciplina obrigatória, o que infelizmente acontece em muitas instituições educacionais.

Ter pessoas inspiradoras que incentivam a arte na escola é de se celebrar sempre. Em sua trajetória encontrou pessoas únicas, em especial a sua professora Carmem Freitas, conhecida como Neca. Foi ela que mostrou o caminho da arte, do teatro e da literatura a Eraldo. Apesar disso, neste período, ele ainda pensava fortemente em jogar futebol, o que fez, posteriormente, buscando pela formação de Educador Físico no ensino superior. O que ele não imaginava, era que o teatro tomaria grandes proporções em sua vida, graças aos ensinamentos da professora Neca.

Foto mostra Professora Neca e Eraldo em premiação
Professora Neca e Eraldo Juninho durante o Festival de Teatro da Escola Rural

Sabemos que a arte é uma ferramenta fundamental na escola para o desenvolvimento da criança e do adolescente, contribuindo em muitos aspectos para sua formação como cidadão. É através da arte onde se criam possibilidades para que crianças tenham contato com este mundo.

Durante a graduação de Educação Física, ele se inscreveu no grupo de teatro da instituição de ensino, o Grupo Teatral da Facos (2004), que, posteriormente passou a se chamar Galpão das Artes. Neste momento, ele melhorou sua relação teoria-técnica-prática com as artes cênicas, a partir das vivências em oficinas, pesquisas, construções de peças teatrais e festivais. Logo, a arte se tornou fundamental e constante em sua vida. Com isso, procurou somar a arte, às práticas lúdicas e recreativas, com propósito de ajudar outros jovens a conhecer este mundo encantando, como diz o mestre Márcio Líbar, admirável e inspirador palhaço do nosso país.

Mudando o mundo

Em 2004 aconteceu algo que mudaria sua vida para sempre: o nascimento de seu filho Matheus. Eraldo tinha então 20 anos. Foi nesse momento de imensa felicidade, que veio em sua mente uma pergunta: O que eu estou fazendo para deixar um mundo melhor para ele? Dessa forma, Eraldo começou uma “busca” de dentro para fora, até compreender que a arte e o esporte poderiam ser ferramentas de transformação para um mundo melhor.

Durante a sua permanência no grupo Galpão das Artes ele encenou inúmeros espetáculos, recebendo prêmios de destaques, como no espetáculo “O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá” (2008), que lhe rendeu o primeiro prêmio de Melhor Ator, interpretando o personagem “Gato”. O espetáculo “Dom Casmurro” (2011), onde interpretou o personagem “Escobar”, recebeu o prêmio de Melhor Ator Coadjuvante.

Foto mostra ator Eraldo em preça teatral
Espetáculo ‘Gato Malhado e a Andorinha Sinhá’ que rendeu prêmio de melhor ator a Eraldo

Eraldo em uma nova etapa

Com processo de (re)significar a arte, decidiu construir uma nova história, finalizando sua participação no grupo Galpão das Artes e criando, com a parceria de amigos, a Cia Teatral InVento, na cidade de Osório/RS, onde dirigiu seu primeiro espetáculo musical, “O Mágico de Oz”(2011). O espetáculo foi desenvolvido visando levar clássicos para as escolas e principalmente para as crianças não perderem referencias de grandes autores. “O Mágico de Oz” acabou rendendo o seu primeiro prêmio de Diretor e de Espetáculo no Festival Estadual da cidade de Rolante/RS, além de diversas indicações e prêmios técnicos e individuais para ele e para o elenco em festivais estaduais e internacionais.

Após finalizar a sua atuação no grupo InVento, iniciou outro desafio ao ser convidado para participar de um projeto ousado junto ao Estúdio de Dança Marli Bublitz, da cidade de Osório/RS, buscando criar um trabalho com teatro, dança e música. Dirigiu outro grande e premiado clássico “O Pequeno Príncipe” (2014), e participou de tantos outros clássicos como “O Quebra Nozes” (2015), “Alice no País das Maravilhas”(2016), sendo para ele um período muito rico de aprendizagem, além de cultivar parcerias com outros profissionais fantásticos.

Visando ajudar pessoas, através de aulas de treinamento funcional, em 2014 fez parte de um Projeto Social que trabalhou com mulheres de alguns bairros da cidade de Osório/RS, com técnicas para melhorar a saúde do corpo e da mente.

Eraldo: Diário de um louco

Em 2017 junto com o amigo João Tondo, da Cia Teatral Yesplim/Osório, aconteceu seu primeiro solo como ator, no espetáculo “Diário de um Louco”, que foi sem dúvidas um marco em sua carreira. O projeto de pesquisa do espetáculo levou oito meses para ser concluído, mas deixou marcas e ensinamentos em sua vida.

Durante a pesquisa para a criação do espetáculo participou da Luta-Antimanicomial e pode ter contato com os usuários da Saúde Mental e vivenciar tantas histórias e experiências de vida que, muitas vezes a sociedade condena por puro senso comum. Naquele espaço de encontro sentiu-se acolhido e amado, sem julgamentos e sem espera de algo em troca, só carinho na sua essência, o que fez com que ele muda-se muitos conceitos sobre a sua vida, como o respeito ao próximo e as bandeiras que ele realmente defendia.

Foto mostra ator em peça 'Diário de um louco'
‘Diário de um louco’: peça atua na Luta-Antimanicomial

Durante o processo de montagem, o diretor João Tondo foi fundamental juntamente com o amigo Dionatan Rosa, que trouxe todo um trabalho corporal para o personagem e também a sua namorada e Psicóloga Renata Medeiros que foi fundamental nesse trabalho de desconstruir pré-conceitos.

Prêmios e reconhecimento

O espetáculo “Diário de um Louco” viajou por mais de 20 cidades e realizou mais de 30 apresentações, onde participou de inúmeros festivais estaduais e internacionais e eventos relacionados à saúde mental. Mas em 2017 teve seu auge, ganhou o Festival Internacional de Uruguaiana e combinado a isto Eraldo foi premiado Melhor Ator do festival. Com este prêmio a companhia foi convidada para o FESTE, festival que reunia os espetáculos vencedores dos festivais do interior do estado do Rio Grande do Sul daquele ano, todos juntos na Casa de Cultura Mário Quintana, em Porto Alegre/RS, onde mais uma vez teve a honra de ser indicado como Melhor Ator naquela edição. Já em 2018, o monólogo “Diário de um Louco” ganhou o Festival Internacional Cena Livre-Uruguaiana/RS e novamente ganhou o prêmio de Melhor Ator. 

Clown/Palhaço

Com sua arte utilizada como forma de transformação, Eraldo realizou um curso imersivo: o Clown/Palhaço (2019), curso ministrado pelo mestre Gilbert Diniz. O local escolhido foi o belíssimo “Vale do Arvoredo”, na cidade de Morro Reuter/RS, em meio a uma mata, onde existem belas trilhas e algumas cachoeiras.

Sabe aquela essência que eu queria encontrar dentro das minhas angustias e perguntas, ali aflorou e nessa conexão com o mundo da palhaçaria eu entendi o meu propósito, que sim a arte transforma, sim precisamos aflorar isto nas pessoas, sim precisamos levar nos lugares mais distantes e principalmente onde não têm acesso, sim preciso através dela ter um olhar mais pedagógico e social, sim preciso ter um cuidado de responsabilidade e compromisso ético com o público e com o trabalho, sim preciso me divertir e divertir, sim preciso me conectar mais a natureza e protegê-la, sim preciso viver da arte e pela arte e levar para o maior número de pessoas que eu puder, porque a cada um que eu toco com minha arte, assim como a Neca me tocou quando me apresentou ao teatro, será mais um multiplicador de boas energias e cultura pelo mundo. – afirma Eraldo.

Splift & Costela

Foi assim que surgiu em 2019 a dupla de palhaços, “Splift & Costela”, Henrique Guedez e Eraldo Juninho, respectivamente. Essa dupla, vinda da imersão no “Vale do Arvoredo”, onde ali tiveram a ideia de montar um espetáculo para levar a cultura aos lugares mais distantes que conseguissem chegar, entende que a palhaçaria é uma ferramenta fundamental neste desenvolvimento. Isso faz lembrar o que dizia o mestre Charles Chaplin: “Um dia sem sorrir é um dia desperdiçando“.

Foto mostra Splift e Costela
A dupla Slift e Costela (Henrique Guedez e Eraldo Juninho)

Dessa forma surgiu o espetáculo “A Missão” que foi apresentado mais de 70 vezes em mais de 30 cidades, em festivais e escolas. Os trabalhos da Cia Teatral Yesplim têm este objetivo: estimular experiências nas pessoas que assistem o espetáculo e, com isso, plantar uma semente de cultura em seus corações. E por falar em plantar, este era um assunto que ainda faltava em suas apresentações.

Devido a Pandemia COVID-19 que vivemos mundialmente, se fez necessário realizarmos o isolamento social. Com isso, tenho aproveitado para intensificar meus estudos e, desta maneira, busquei beber em muitas fontes de conhecimento e, uma delas foram as Lives do querido Bruno Torres – Cineasta, Ator, Ambientalista – um ser humano incrível, junto a outra grande pessoa, Luiz Carlos Vasconcelos – Ator e Diretor, no qual realizaram Lives juntos. – diz Eraldo

Cabe salientar que, anteriormente, Eraldo durante a sua participação nas gravações da novela “A Dona do Pedaço”(2019), da emissora Rede Globo, realizadas na cidade de São Gabriel/RS, já havia conhecido o ator Luiz Carlos Vasconcelos.

Sustentabilidade

Ao acompanhar Bruno Torres em suas Lives, em uma delas conheceu a Ecooar Biodiversidade. Eraldo encontrou o que faltava: um projeto admirável de reflorestamento e, que age na recomposição de Áreas de Preservação Permanente (APP), ou seja, através do plantio de árvores na forma de compensar o gás carbono que é gerado todos os dias com nossas ações. Desta forma, através da Live, tomou conhecimento de que Bruno Torres já vinha compensando parte de suas produções com a Ecooar.

Foto mostra área de reflorestamento Ecooar de Eraldo Juninho
Área de reflorestamento de Eraldo Juninho: árvores plantadas irão compensar
toneladas de CO2. Clique aqui e conheça a área.

Assim, Eraldo decidiu compensar também as emissões de seus espetáculos “Diário de um louco” e “A Missão”, da Cia Teatral Yesplim. Para isso foram realizados cálculos pela Ecooar sobre os dois anos de existência da companhia, a emissão de gases de efeito estufa dos eventos, das viagens, do combustível e de tudo mais que foi emitido pelas produções, onde foram realizadas as compensações com o plantio de árvores.

Mas não ficou só nisso, pesquisando e me aprofundando no Blog da Ecooar aprendi muitas técnicas de plantio e tantas outras boas práticas para fazermos em casa. Hoje eu cultivo rosas, cactos e diversas plantas, assim como tenho minha horta e uma composteira para colocar o lixo orgânico que produzimos. Minha mãe, Dona Maria, também aderiu e está cada dia mais engajada comigo, o que me fez querer ainda mais. Não poderia encerrar sem dizer aqui que as duas primeiras árvores que irei plantar junto a Ecooar serão doadas para Bruno Torres e Luiz Carlos Vasconcelos, grandes amigos e inspiradores neste projeto. – comenta Eraldo.

Futuros projetos

Ao planejar os novos projetos de trabalho da Cia Teatral Yesplim, Eraldo Juninho deseja continuar compensando o CO2 emitido e, principalmente, transmitir a essência de sustentabilidade e de cuidado com o meio ambiente para as escolas e incentivá-las a plantar vidas.

Programa ‘Alô Comunidade’, da TV Litoral Osório, apresentado
por Sidney Borba, entrevistou Eraldo Juninho

Durante muito tempo eu busquei projetos, grupos, espetáculos e outros meios não só na arte, mas também na minha vida, busca essa de transformar o mundo, mas o que vejo hoje é que a maior transformação tinha que acontecer dentro de mim e, posso dizer hoje que esta transformação está cada dia mais presente em mim, onde busco entender melhor a arte dentro de mim, minha relação com a natureza, com o esporte e a relação com próximo. Por isso, citando o mestre Mahatma Gandhi:  “Seja a mudança que você quer ver no mundo” – finaliza Eraldo


Saiba mais:

Eraldo Juninho
Instagram


Splift & Costela
Instagram


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão.
Entre em contato: ecooar@gmail.com | ecooar@ecooar.com

Facebook Comments

ecooar

A Ecooar Biodiversidade acredita em um mundo melhor! E por acreditar tanto nisso, nossa equipe atua apaixonadamente para proteger, preservar e recuperar a natureza. Trabalhamos com projetos de reflorestamento que agem na recomposição de Áreas de Preservação Permanente (APP) na Mata Atlântica e demais biomas. A formação de florestas retém CO2 da atmosfera, o que resulta na captura de Gases de Efeito Estufa (GEE) e regeneração do meio ambiente.

Deixe uma resposta

Translate »