Skip to main content
Foto mostra prédio e passarela com as palavras Arquitetura sustentável

Arquitetura sustentável: conheça 3 técnicas inovadoras

Além de economia que proporciona, a arquitetura sustentável ajuda o planeta

Há algum tempo se fala em ações sustentáveis para benefício do planeta. Mas o que é sustentabilidade? Ela pode ter conceitos específicos, como sustentabilidade ambiental, social, econômica, entre outras.

Para trazer luz sobre o tema, vou fazer uma breve analogia, com definição geral de sustentabilidade, usando como exemplo a importância das abelhas para o meio ambiente. Podemos resumir isto citando a famosa frase do físico Albert Einstein: “Se as abelhas desaparecessem da face da Terra, a humanidade terá apenas mais quatro anos de existência. Sem abelhas não há polinização, não há reprodução da flora, sem flora não há animais, sem animais não haverá raça humana”.

Foto mostra um campo de girassol e uma abelha se aproximando
As abelhas são essenciais para a humanidade (Foto: Carlos Lourenço)

Ou seja, quem imaginava que as abelhas teriam um papel tão importante para nosso ecossistema? Usei este exemplo para mostrar que tudo faz parte de uma cadeia, tudo está interligado e que tudo tem seu valor e sua função para o equilíbrio e para a sustentabilidade do planeta.

Neste artigo vou abordar alguns pontos sobre a Arquitetura Sustentável e seu impacto no meio ambiente e nas pessoas.

Mais eficaz e mais barata

Muitos acreditam que para uma edificação ser sustentável necessita-se de um investimento muito alto. É verdade que existem vários tipos de tecnologias que podem ser implantadas com este objetivo e que podem elevar o valor do investimento, mas não necessariamente precisa ser assim. Podemos ter a tecnologia como nossa aliada, como por exemplo a utilização de softwares que ajudam a reduzir os custos das obras.

Uma obra nova que ainda está em fase de estudos pode ser executada de modo mais eficaz e ser sustentável sem muitos investimentos, mas isso necessita de um planejamento adequado. Um projeto bem-feito deve ser analisado antes mesmo de ser iniciado, levando-se em conta alguns fatores importantes, como a topografia do terreno onde a obra vai ser executada, a orientação solar, direção dos ventos, entre outros.

Alguns projetos

Levando-se em conta esses fatores, podem ser empregadas algumas técnicas que deixam o projeto mais sustentável.

Foto mostra piscina com casa ao fundo construída da baseada na arquitetura sustentável
Na imagem podemos evidenciar as aberturas voltadas
para a direção sul e leste (Projeto e foto: Carlos Lourenço)

A grande abertura da sala para a direção sul tem o objetivo de levar iluminação natural sem a incidência dos raios solares, deixando esta entrada de calor por aberturas de forma controlada pelas paredes opostas, além de proporcionar uma ventilação cruzada e assim oferecer conforto térmico aos moradores.

Foto mostra vaso com árvore dentro e ao fundo muro e atrás árvores maiores
Integração com a natureza ( Projeto e foto: Carlos Lourenço)

Podemos entrar no conceito da Arquitetura Bioclimática, que tem a relação dos fatores climáticos e da integração da natureza para composição do projeto, oferecendo melhor aproveitamento dos recursos naturais, minimizando o impacto ambiental e proporcionando menor consumo de energia e conforto as pessoas.

Foto mostra parte interna de casa baseada em arquitetura sustentável com escadas e grandes janelas
Em sua casa dê preferência a iluminação natural (Projeto e fotos: Carlos Lourenço)

A luz natural pode adentrar através de vidros refletivos, que além da função de oferecer privacidade, também podem diminuir a incidência do calor solar de 40% até 80% no ambiente e aberturas superiores causando um efeito conhecido como “Efeito Chaminé”, onde ocorre a retirada do ar quente e em harmonia com aberturas em paredes opostas, causando uma ventilação cruzada com renovação e movimentação do ar, proporcionando conforto térmico e redução no consumo de energia.

Arquitetura sustentável entrega ambientes mais iluminados

Em todos os projetos sempre deve-se verificar estas informações a fim de possibilitar conforto térmico e eficiência energética ao imóvel, proporcionando uma organização dos ambientes de forma correta, direcionando as aberturas estrategicamente, resultando em uma iluminação natural eficiente com ventilação cruzada.

Prefira utilizar técnicas, materiais e paisagismos de forma eficaz para que o imóvel seja mais sustentável, evitando o uso contínuo de ventilação e/ou iluminação artificial e do ar-condicionado.

Claro que dificilmente vamos suprir por completo o uso destas tecnologias, mas podemos diminuir seu uso e assim oferecer mais economia e qualidade de vida as pessoas.

Reformando e reaproveitando

No caso de reformas, existem situações onde a tecnologia passa a ser mais exigida, pois um prédio existente tem suas próprias deficiências já inseridas e algumas com grau elevado de dificuldades a serem sanadas. Mas como já foi citado, cada caso tem que ser analisado individualmente.

Foto mostra ambiente com balcão, com geladeira ao fundo em reforma levando-se em conta a arquitetura sustentável
Antes e depois: ambientes integrados com aberturas para melhor
iluminação e ventilação dos ambientes
(Projeto e fotos: Carlos Lourenço)

Muitas edificações apresentam problemas de saúde estrutural, uma delas é a SED “síndrome do edifício doente”. Esta definição se dá em prédios com vários problemas em seu projeto e construção, com ineficiente entrada de luz natural, pouca ventilação, entre diversos fatores que contribuem para a proliferação de bactérias e fungos, causando doenças nas pessoas que lá convivem.

Empresas instaladas em prédios, normalmente antigos, com situações como as citadas anteriormente, necessitam de luz artificial constante, ventilação forçada, conforto térmico gerado por aparelhos de ar-condicionado, que sem manutenção periódica, podem causar sérios riscos à saúde do trabalhador.

Foto mostra antes e depois de ambiente degradado e após a reforma de prédio, com pisos e porta de madeira
Nas imagens acima podemos verificar a revitalização de um prédio comercial, onde reforçamos as estruturas, melhoramos a ventilação e iluminação natural (Projeto e fotos: Carlos Lourenço)

Certamente, uma empresa instalada em prédios com estes sintomas, terão funcionários com baixa produtividade e um afastamento considerável de seus colaboradores por questões de saúde, além de uma péssima qualidade de vida no trabalho. 

Salvando construções

Atualmente há uma tendência para revitalizar prédios antigos utilizando o conceito de Retrofit. Este conceito nasceu na Europa com o objetivo de solucionar um problema encontrado em diversos países: como resolver a questão da grande quantidade de prédios ou construções antigas e abandonadas sem condições de uso, espalhadas pelas cidades?

Foto mostra armação de Light Steel Frame sendo erguida por guindaste
O Light Steel Frame pode ser uma solução para a reforma de
prédios antigos (Foto: iBUILD Construções Inteligentes)

Muitos destes prédios não podem ser demolidos de acordo com a legislação de cada local, então a solução foi a de restaurá-los conservando as características da obra, trazendo dessa maneira novas soluções com tecnologias atuais.

Assim, muitos destes prédios recebem uma nova função que possuíam anteriormente. O Retrofit também pode ser utilizado para revitalizar áreas urbanas.

3 técnicas inovadoras da arquitetura sustentável

A engenharia sustentável evolui a cada dia. Há muitos materiais sustentáveis e tecnologias disponíveis no mercado, para diversas áreas da obra. Conheça 3 técnicas inovadoras:

Light Steel Frame

A técnica construtiva em Light Steel Frame define muito bem uma arquitetura sustentável. Sabemos que a construção civil é um dos setores que mais geram resíduos em sua execução; por outro lado esse também é um dos setores que mais empregam no mundo.

Foto mostra construção de Light Steel Frame levando e conta a arquitetura sustentável
Construções limpas e quase sem resíduos são algumas das vantagens
do Light Steel Frame (Foto: iBUILD Construções Inteligentes)

Melhor dizendo, a execução da obra em Light Steel Frame permite uma obra totalmente limpa e quase sem resíduos, pois é um processo industrializado, possibilitando uma entrega muito mais rápida em comparação ao modo tradicional.

Além destes benefícios, a técnica permite utilizar materiais sustentáveis em seu processo. Entre a composição dos materiais, vale destacar a Lã de Pet, utilizada na parte interna das paredes oferecendo melhor conforto térmico e acústico ao ambiente.

A lã de pet é um material reciclável transformado pela reciclagem de garrafas pet e ecologicamente correto, substituindo a lã de vidro e a lã de rocha.

Telhado verde

Para cobertura podemos destacar o Telhado Verde. O telhado verde (ou ecotelhado) vem ganhando espaço no Brasil e já é realidade em muitos países.

Cada material utilizado em sua composição tem uma função específica e se divide basicamente em sete camadas: o próprio telhado (estrutura), membrana a prova d’água, membrana anti-raiz, drenagem, tecido permeável, substrato (terra) e vegetação.

As vantagens do ecotelhado para o meio ambiente e para as pessoas são muitas, entre elas podemos citar:

  • redução da poluição;
  • conforto térmico e acústico;
  • redução do consumo de energia;
  • bem-estar aos moradores;
  • convivência com a natureza;
  • embelezamento do local;
  • retenção da água da chuva;
  • absorção da poluição sonora.

Para a realização do telhado verde é preciso contratar um profissional para avaliar a estrutura e que conheça o sistema para implantação do processo.

Ecopaper

Na parte de revestimentos existem muitas opções de materiais ecologicamente corretos, é o caso do Ecopaper.

O Ecopaper é um revestimento seguro para o meio ambiente sendo que as composições de seus materiais são naturais. Originário do leste europeu e importado para o Brasil, possui vários certificados que comprovam seus benefícios e qualidades.

Foto mostra interior de sala com puffs e sofás com parede de Ecopaper
Ambiente finalizado com Ecopaper: respeito ao meio ambiente (Foto: Ecodecor)

Entre eles o CE Certificado Europeu de Qualidade e o E3–Eco-Quality Approved, demonstrando que foi rigorosamente testado, recebendo um certificado e marca ambiental.

E3 = “Ecologia, Energia, Eficiência”, que é mais uma prova da naturalidade e segurança ambiental dos produtos. O Ecopaper é 100% natural, antialérgico, inodoro, isolante acústico, isolante térmico e não atrai partículas de poeira.

Arquitetura sustentável trás muitos outros benefícios

Dentro dos exemplos de materiais, tecnologias e das técnicas abordadas até aqui para uma arquitetura sustentável podemos citar muitos outros, como:

  • a utilização de painéis fotovoltaicos para geração de energia;
  • cisternas para armazenamento da água da chuva;
  • ecotelhas;
  • ecoparedes;
  • lâmpadas de led;
  • paisagismo;
  • materiais certificados (piso, vidros, telhas, tijolos e revestimentos em geral);
  • projetos e planejamentos de urbanismo para a sustentabilidade das cidades, entre outros.

Dessa forma, podemos concluir que uma arquitetura sustentável pode ser realizada de várias formas, da mais simples até a mais sofisticada e cada profissional pode adotar este conceito e adequá-los de acordo com a possibilidade de seus clientes e projetos, trazendo muitos benefícios aos seus moradores, ao meio ambiente e a população de um modo geral.


Carlos Lourenço

MBA em Gestão de Pessoas e Liderança Corporativa
Arquiteto e Urbanista
Bacharel em Administração de Empresas
Técnico em Segurança do Trabalho

Saiba mais:
Instagram: @carloslourenco.arq
Email: chlourenco@hotmail.com


Já pensou em deixar seu projeto e/ou escritório mais sustentável? Fale com a gente e conquiste o Selo Verde Ecooar.

Facebook Comments

ecooar

A Ecooar Biodiversidade acredita em um mundo melhor! E por acreditar tanto nisso, nossa equipe atua apaixonadamente para proteger, preservar e recuperar a natureza. Trabalhamos com projetos de reflorestamento que agem na recomposição de Áreas de Preservação Permanente (APP) na Mata Atlântica e demais biomas. A formação de florestas retém CO2 da atmosfera, o que resulta na captura de Gases de Efeito Estufa (GEE) e regeneração do meio ambiente.

Deixe uma resposta

Translate »